servicos
Fale com o Detetive Particular Wilson Teixeira, que tem por objetivo a excelência no atendimento aos seu seus clientes.
saibamais

fiqueligado
Há mais de 20 Anos em buscas de Pessoas desaparecidas.
saibamais

faleconosco
A WT faz rastreamento de pessoas e veículos por meio de satélite e rádio.
saibamais

Detetive Particular em Patos de Minas Minas Gerais

A WT tem sua sede em Uberlândia – MG, mas atendemos em todas as cidades do Brasil. Para Investigações em Patos de Minas – MG  Fale com o Detetive Particular Wilson Teixeira, este com 45 anos e 23 de experiência como Investigador. WhatsApp: 34 99904-5669

 

 

 

 

História

O processo de colonização da região ocupada hoje pelo município de Patos de Minas e distritos vizinhos teve início, provavelmente, na metade do século XVIII, período que antecede à descoberta do ouro nas regiões das minas, com o movimento das entradas e bandeiras rumo às terras de Paracatu.
A cidade de Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX em torno da Lagoa dos Patos, onde segundo as descrições históricas existia uma enorme quantidade de patos silvestres. Os primeiros habitantes foram lavradores e criadores de gado, sendo muito visitados por tropeiros. O povoado, à beira do rio Paranaíba, cresceu, virou arraial e depois vila, a devota vila de Santo Antônio dos Patos.
Em 1892, o presidente do Estado de Minas Gerais eleva a vila à categoria de cidade de Patos de Minas. Em 1943, o governo do Estado mudou o nome para Guaratinga, provocando insatisfação na população. Atendendo aos apelos populares, em 1945 o nome é mudado novamente para Patos de Minas, para distingui-lo de Patos da Paraíba, município mais antigo. Seu aniversário é comemorado em 24 de maio, ocasião em que se realiza a ‘Festa Nacional do Milho’.
O desenvolvimento maior do município ocorreu na década de 30 pelos melhoramentos executados pelo Governo do Estado, cujo presidente era Olegário Dias Maciel. Em seu governo, instalou-se e construiu-se a sede da Escola Normal (então Escola Estadual Professor Antônio Dias Maciel), o Hospital Regional Antônio Dias Maciel, o Fórum Olympio Borges e o grupo escolar Marcolino de Barros. Essas obras ampliaram muito as influências do município na região.
A década de 50 foi de grande avanço regional. Houve grande surto migratório e a instalação de grandes firmas comerciais nos mais diversos segmentos. Nessa época, construiu-se o primeiro terminal rodoviário e iniciou-se a comemoração da Festa Nacional do Milho.
Nas décadas de 60 e 70, período em que o país vivia sob pressão da ditadura militar, houve certa estagnação econômica, motivada pela mudança da capital do país para Brasília. Grande parte da população local se deslocou para lá em busca de emprego. A capital continuou atraindo os patenses, principalmente com a criação das universidades. Ainda hoje existe em Brasília uma colônia significativa de patenses. Esse momento foi marcado pela: instalação da CEMIG; fundação do Colégio Municipal, transformado em Escola Estadual Professor Zama Maciel; a criação da Fundação Educacional de Patos de Minas, com a instalação do primeiro curso superior; a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, em 1970; e a consolidação da rede rodoviária com o asfaltamento das BRs 354 e 365, ligando o município à capital do Estado e ao nordeste do país.
A descoberta da jazida de fosfato sedimentar, na localidade da Rocinha, no final dos anos 70, projetou Patos de Minas nacionalmente, ocasionando a primeira visita do Presidente da República à cidade, o General Ernesto Geisel, em 1974.
Esse período também foi marcado pela imigração gaúcha, que fixou suas residências e escritórios de venda de sementes em Patos de Minas. O cultivo era feito na região de cerrado, vizinha do município, principalmente Presidente Olegário e São Gonçalo do Abaeté.
Neste período foi grande o desenvolvimento comercial com a implantação de indústrias de confecções e a instalação de uma unidade da CICA, maior processadora de tomates da América Latina, promovendo o crescimento de cultivo de milho doce, ervilha e tomate na região.
Estudos comprovam a predominância de tribos indígenas no período que antecede a dominação branca na região. Segundo Antré Prous, autor do livro ‘Arqueologia Brasileira’, costuma-se atribuir aos Cataguás a ocupação da região sudoeste mineira, tribo que resistiu bravamente aos invasores brancos, mas que não chegou a ser estudada. A existência de vestígios arqueológicos são as marcas deixadas por estas nações.

Formação Administrativa

Distrito criado, com a denominação de Santo Antônio dos Patos, pela Lei Provincial n.º 472, de 31-03-1850, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, subordinado ao município de Patrocínio.
Elevado à categoria de vila, com a denominação de Santo Antônio dos Patos, pela Lei Provincial n.º 1.291, de 30-10-1866, sendo desmembrado do município de Patrocínio, com sede na antiga povoação de Santo Antônio dos Patos. Constituída do distrito sede, foi instalada em 29-02-1868.
Pela Lei Provincial n.º 1.903, de 19-07-1872, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Santana do Paranaíba e anexado à vila de Santo Antônio dos Patos.
Pela Lei Provincial n.º 2.329, de 12-07-1876, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Dores do Areado e anexado à vila de Santo Antônio dos Patos.
Pela Lei Provincial n.º 2.656, de 04-11-1880, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Lagoa Formosa e anexado à vila de Santo Antônio dos Patos.
Pela Lei Provincial n.º 2.688, de 30-11-1880, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Santa Rita de Patos e anexado à vila de Patos.
Elevado à condição de cidade, com a denominação de Patos, pela Lei Estadual n.º 23, de 24- 05-1 892.
Pela Lei Estadual n.º 556, de 30-08-1911, é criado o distrito de São Pedro da Ponte Firme e anexado ao município de Patos.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município é constituído de 7 distritos: Patos, Dores do Areado, Lagoa Formosa, Ponte Firme, Quintino, Santana do Paranaíba e Santa Rita de Patos.
Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920 o município é constituído de 7 distritos: Patos, Dores do Areado, Ponte Firme, Lagoa Formosa, Quintinos, Santa Rita de Patos e Santana (ex-Santana do Paranaíba).
Pela Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923, o município sofreu as seguintes modificações: foi criado o distrito de Galena (ex-povoado de Andrequice), com terras desmembradas do distrito de Santa Rita de Patos e anexado ao município de Patos. Pela mesma Lei Estadual, foi criado o distrito de Minas Vermelhas (ex-povoado de Pilar), sendo anexado ao município de Patos. O distrito de Dores do Areado tomou a denominação de Chumbo. Lagoa Formosa passou a chamar-se Nossa Senhora da Piedade da Lagoa Formosa e São Pedro da Ponte Firme tomou o nome de Ponte Firme.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 9 distritos: Patos, Chumbo, Galena, Minas Vermelhas, Nossa Senhora da Piedade da Lagoa Formosa, Ponte Firme, Quintinos, Santa Rita de Patos e Santana de Patos.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937 o município aparece constituído de 7 distritos: Patos, Chumbo, Lagoa Formosa, Ponte Firme, Santa Rita de Patos e Santana de Patos, não figurando os distritos de Galena e Minas Vermelhas.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 148, de 17-12-1938, é criado o distrito de Guimarães e anexado ao município de Patos. Pelo mesmo Decreto-lei Estadual são desmembrados do município de Patos os distritos de Santa Rita de Patos e Ponte Firme, para constituírem o novo município de Presidente Olegário. O distrito de Quintinos foi transferido de Patos para o município de Carmo do Paranaíba.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939 a 1943 o município é constituído de 5 distritos: Patos, Chumbo, Guimarães, Lagoa Formosa e Santana de Patos.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 1.058, de 31-12-1943, o município de Patos tomou a denominação de Patos de Minas e o distrito de Guimarães a chamar-se Guimarânia.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 5 distritos: Patos de Minas, Chumbo, Guimarânia, Lagoa Formosa e Santana de Patos.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
Pela Lei Estadual n.º 2.764, de 30-12-1962, são desmembrados do município de Patos de Minas os distritos de Guimarânia e Lagoa Formosa, elevados à categoria de município. Pela mesma Lei, foram criados os distritos de Bom Sucesso de Patos e Major Pôrto e anexados ao município de Patos de Minas.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 5 distritos: Patos de Minas, Bom Sucesso de Patos, Chumbo, Major Porto e Santana de Patos. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1983.
Pela Lei Estadual n.º 6.769, de 15-05-1976, é criado o distrito de Pindaíbas e anexado a Patos de Minas.
Em divisão territorial datada de 1-I-1979 o município é constituído de 6 distritos: Patos de Minas, Bom Sucesso de Patos, Chumbo, Major Porto, Pindaíbas e Santana de Patos. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1988.
Pela Lei n.º 3.103, de 30-06-1992, é criado o distrito de Pilar e anexado ao município de Patos.
Em divisão territorial datada de 1995, o município é constituído de 7 distritos: Patos de Minas, Bom Sucesso de Patos, Chumbo, Major Porto, Pilar, Pindaíbas e Santana de Patos. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Fonte

Patos de Minas (MG). Prefeitura. 2015. Disponível em: http://www.patosdeminas.mg.gov.br/acidade/historia.php. Acesso em: fev. 2015.