servicos
Fale com o Detetive Particular Wilson Teixeira, que tem por objetivo a excelência no atendimento aos seu seus clientes.
saibamais

fiqueligado
Há mais de 20 Anos em buscas de Pessoas desaparecidas.
saibamais

faleconosco
A WT faz rastreamento de pessoas e veículos por meio de satélite e rádio.
saibamais

Detetive Particular em Frutal MG

A WT tem sua sede em Uberlândia – MG, mas atendemos em todas as cidades do Brasil. Para Investigações em Frutal – MG  Fale com o Detetive Particular Wilson Teixeira, este com 45 anos e 23 de experiência como Investigador. WhatsApp: 34 99904-5669

 

 

 

História

Segundo consta, o povoamento da região onde hoje se localiza o município, pelo homem branco, teve início no século XVIII, em especial a partir de 1736, quando, por ordem do governador Martinho de Mendonça, foi aberta a Picada de Goiás, no trecho que saía de Pitangui rumo a noroeste, tendo sido concedidas sesmarias para localização de estâncias ao longo da Picada, onde também foram se formando pontos de parada e abastecimento.

De qualquer forma, admite-se que todo o território já era conhecido desde o final do século XVI pelos brancos, que vinham da Vila de São Paulo com objetivos de conquista, não de povoamento. Assim, sabe-se que chegaram ao Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste Mineiro as bandeiras de Domingos Luís Grou (1586-1587), Antônio Macedo (1590), Domingos Rodrigues (1596), Domingos Fernandes (1599) e Nicolau Barreto (1602-1604).

O trânsito de bandeiras pela região relacionava-se à presença de vários caminhos para as minas de Goiás, que faziam junção nas proximidades do atual município de Paracatu, localizado no Noroeste de Minas.

Segundo BARBOSA, citado por MELLO: ?Em 1736, quatro diferentes caminhos para Goiás passaram a fazer junção em Paracatu: A Picada de Goiás, cuja construção foi permitida por despacho do Governador Gomes Freire de Andrada, de 8 de maio de 1736; a de Pitangui a Goiás, também autorizada em 1736 ao requerente Domingos de Brito e seus sócios; a que passava por São Romão, onde desembocavam caminhos de Minas, Bahia e de Pernambuco; e o caminho que transpunha o São Francisco na passagem do Espírito Santo, nas proximidades da barra do Rio Abaeté. A Picada de Goiás e a que passava por São Romão eram as mais freqüentadas.
(MELLO, 1994, p. 61)

Outro fator de ocupação foi a doação de sesmarias na região, principalmente sob os argumentos de povoamento e proteção de terras tão valiosas contra o ?gentio bravio?. Foram sendo formadas fazendas, onde a criação de bovinos conviveu, já como atividade econômica, com a exploração aurífera presente em algumas localidades.

A região hoje conhecida como Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba foi denominada, à época das bandeiras, de Sertão da Farinha Podre, em virtude do fato de que alimentos estocados pelos comboios eram encontrados deteriorados, quando de seu regresso. Até 1816, o Sertão da Farinha Podre pertencia à capitania de Goiás, só então passando à capitania das Minas Gerais, através de alvará do rei D. João VI.

Especificamente no que se refere ao município, não há fontes oficiais que permitam estabelecer com certeza a data de seu povoamento. De acordo com a Enciclopédia dos Municípios Brasileiros:
Tudo faz crer (…) tenham sido os bandeirantes na ida ou na volta da lendária marcha para o Oeste os primeiros brancos a pisarem o local. Ou, talvez, escravos fugidos, pois há, no município, lugar outrora já denominado ,Quilombo.

Segundo a tradição oral, o topônimo da cidade está ligado à abundância, nas margens dos ribeirões da área, de um fruto semelhante à jabuticaba e que era conhecida pelos moradores simplesmente como ‘fruta’. Em decorrência, o local que cresceu nas proximidades passou a ser conhecido como Patrimônio das Frutas, depois como Carmo do Fructal e hoje, simplesmente Frutal.

Os registros historiográficos mais antigos de que se tem notícia indicam que o núcleo inicial da atual cidade de Frutal teve origem com a chegada à região, por volta de 1835, de um homem chamado Antônio de Paula e Silva. O citado forasteiro é reconhecido localmente como o fundador do povoado às margens do rio Grande, onde se instalou com a família e seus escravos.

Antônio de Paula e Silva construiu uma capela dedicada a Nossa Senhora do Carmo, ao redor da qual formou-se um povoado, passagem obrigatória para os que transitavam de São Paulo para Goiás e Mato Grosso. Em seus primórdios, o lugar tinha como atividade econômica fundamental a criação pecuária, sendo que o povoamento da região teve como móvel principal a agropecuária para abastecimento de bandeiras, viajantes e localidades de exploração aurífera.

A chegada de numerosas pessoas que se fixaram no povoado favoreceu o seu rápido crescimento, passando à categoria de Arraial em 1850. Em 1854, foi incorporado ao Município de Uberaba e, em 14 de maio de 1858, elevado à condição de ‘Distrito de Paz’.

Em 5 de outubro de 1885, de acordo com Lei n.º 3325, o distrito foi emancipado e elevado à categoria de Vila, denominada Carmo do Fructal, desmembrando-se de Uberaba. Sua elevação à categoria de Cidade se deu a 4 de outubro de 1887, através da Lei nº 3.436, já com o nome de Frutal.

CRONOGRAMA
1835

ANTONIO DE PAULA E SILVA se estabelece na região, procedente de Franca-
SP.
Erguida e inaugurada a Capela, dando início em seu redor a formação do
povoado que ficou conhecido como Carmo de Fructal.

1850

O povoado Carmo de Fructal passa a categoria de Arraial, devido ao seu
rápido crescimento.

1851

Foi dirigido memorial ao Padre Jerônimo Macedo, da Paróquia de Dores do
Campo Formoso, pedindo provisão para que fosse erguido um novo templo religioso.

1854

Aos 16 de julho foi inaugurado o novo templo religioso e vencida esta etapa
construído um cemitério. Sendo que nesta mesma época o Arraial foi incorporado ao Município de Uberaba.

1858

Através da Lei nº 852, de 14 de Maio, o Arraial foi elevado à condição de
Distrito de Paz.

1870

Através da Lei nº 1.667, a sede da Paróquia de Dores do Campo Formoso é
transferida para o Distrito de Carmo de Fructal.

1885

Em 05 de outubro, através da Lei nº 3.325, foi elevada à Categoria de Vila,
ficando, então, desmembrado do Município de Uberaba e incorporando São Francisco de Sales, desmembrado do Município do Prata.

1886

Foi fundada a primeira banda de música do município.

1887

Em 21 de abril, instalou-se na vila o Clube Atlético Tiradentes, dissolvido
posteriormente em 13 de Maio de 1888.
Em 04 de outubro, através da Lei nº 3.436, Carmo do Fructal foi EMANCIPADA do Município de Uberaba e elevada à categoria de Cidade, com o nome de FRUTAL. Nesta ocasião, providenciou a construção definitiva da Cadeia e Casa da Câmara, a eleição dos Vereadores, a instalação do Legislativo, a criação dos Códigos Tributários e de Posturas, nomenclatura de ruas e outros serviços urbanos.

1888

Em 21 de Janeiro, foi criado o Foro Civil do Município.
Em 26 de Janeiro, foi o município subdividido em Distritos especiais, sendo os
de FRUTAL, Moeda (atualmente Itapagipe e Comendador Gomes) e o de São Francisco de Sales os primeiros a serem instalados e também, foi instalado o Juizado de Paz.
O primeiro jornal, com a denominação de Santelmo, órgão oficial da Câmara
Municipal, fundado neste ano, circulou até 1895.
Em 04 de dezembro, é nomeado o primeiro Delegado de Polícia, Joaquim Martins de Souza.

1889

Em 23 de Abril, foi nomeado o primeiro Tabelião de Notas e,
Em 27 de Julho, instalada a Coletoria das Rendas Gerais e Providenciais, tendo sido nomeado para o cargo o Comendador Gomes da Silva.

1892

Em 21 de Abril, é criada a Comarca de FRUTAL, sendo o primeiro Juiz de Direito, Pacífico Gomes de Oliveira Lima e Promotor de Justiça, Alonso Valdetaro Orosimbo Dias, conforme atos publicados nesse mesmo dia, no Minas Gerais; a instalação da Comarca somente veio a acontecer em 15 de Setembro, graças ao brilhante trabalho do Senador Gomes da Silva no Congresso Mineiro.
Em 20 de Setembro, o Instituto Municipal iniciou suas atividades, com as cadeiras de Português, Latim, Francês, Aritmética, além de outras matérias.

1909

O então Agente Executivo, Astolfo de Vasconcelos inaugurou o primeiro serviço
de água canalizada, para consumo da população.

1910 ou 1911

Foi introduzido o Futebol em Frutal, pelo jovem Miguel Morelli que, em companhia de seus progenitores, havia transferido sua residência de Araraquara pra esta cidade.

1915

Falece na cidade o COMENDADOR JOAQUIM ANTONIO GOMES DA SILVA, ou Senador Gomes da Silva, um dos expoentes do desenvolvimento do Município.
Construção do primeiro Grupo Escolar, nova Cadeia Pública, Edifício do Fórum, encampação do serviço de iluminação elétrica, que havia sido implantado pelo Engenheiro José Vilela de Magalhães. Realizaram, ainda, a construção do primeiro Jardim Público, com artístico coreto, serviços de meio-fio e sarjetas em várias ruas, construindo o Matadouro Municipal e o novo Cemitério, além de várias escolas, urbanas e rurais.

1916

Em 23 de janeiro foi oficialmente fundado o primeiro clube de futebol em Frutal, com a denominação de Fructal Foot Ball Club.

Fonte

Secretaria Municipal de Cultura Prefeitura Municipal de Frutal